Tipos de câncer

celula

 

Dúvidas sobre os tipos de câncer?

 

O corpo humano é formado por milhões de células que se reproduzem através de um processo chamado divisão celular. Em organismos saudáveis, células crescem, morrem e são repostas de modo bem controlado e ordenado.

Na fase da infância e da adolescência, as células normais se dividem mais rapidamente para permitir que a pessoa se desenvolva. Depois, na fase adulta, a maioria das células se divide apenas para substituir células desgastadas ou células que morrem ou para reparar danos.

Danos ou mudanças no material genético das células (DNA) por fatores ambientais ou internos, às vezes resultam em células, que sofrem uma espécie de “mutação” e perdem capacidade de limitar e controlar o seu próprio crescimento passando, então, a multiplicarem-se rapidamente e sem nenhum controle, formando o que se conhece como tumor. Esse excesso de tecidos do corpo pode gerar um processo inflamatório, infeccioso ou mesmo um crescimento celular benigno.

Podemos dividir os tumores em:

Benignos: Massa localizada de células que se multiplicam lentamente e geralmente é de forma regular, delimitada e se assemelha ao tecido original. Tumores benignos não se espalham para outras partes do corpo, e raramente são ameaça à vida, mas merecem atenção e podem exigir tratamento, dependendo do local onde aparecem.  Geralmente podem ser removidos totalmente através de cirurgia e na maioria dos casos não tornam a crescer.

Malignos: Acúmulo de células cancerosas, que se dividem rapidamente e tendem a ser muito agressivas e incontroláveis. Geralmente tem forma irregular, são invasivos e apresentam grandes diferenças quanto ao tecido original (coloração, textura, etc.). Têm a capacidade de invadir estruturas próximas, sufocando-as e muitas vezes limitando-as de suas funções. Podem espalhar-se para diversas regiões do corpo. Este tipo de tumor é mais conhecido como CÂNCER, ou seja, um grupo de mais de mil doenças caracterizadas por crescimento celular anormal e incontrolável.

CÂNCER PRIMÁRIO

O câncer pode começar em qualquer órgão ou tecido do corpo. O tumor original é chamado câncer primário. O câncer geralmente recebe nome pela parte do corpo ou tipo de célula na qual começou.

METÁSTASE

O tumor maligno, ou câncer, detém além da capacidade de invasão destrutiva, a propriedade de se disseminar através do sistema circulatório (veias), pelo sistema linfático (o sistema que produz, armazena e carrega células para combater infecções), e por continuidade, causando invasão a órgãos e tecidos circunvizinhos, impondo danos severos. As metástases, na verdade, são uma espécie de “filial” do tumor primário, em outro órgão ou tecido.

Quando um tumor primário invade o sistema circulatório ou o sistema linfático, o tumor desprende células cancerosas, que circulam pelos sistemas e migram até encontrarem outro lugar propício para o crescimento e desenvolvimento de um novo foco da doença. O tumor também pode invadir tecidos e órgãos próximos e não migram para locais distantes, ficam mais limitados a invasão de tecidos circunvizinhos.

Os locais mais comuns de metástase a partir de tumores sólidos são os pulmões, ossos, fígado e cérebro.

Devido às diferentes células existentes e componentes do corpo humano, o câncer pode se apresentar de diferentes tipos. Podemos então, dividi-los em tumores sólidos e neoplasias hematológicas.

Os Tumores Sólidos

Carcinoma – o câncer se origina nos tecidos epiteliais. Os locais mais comuns de lesões do tipo carcinoma são pele, boca, pulmão, mama, estômago, colo de útero, próstata e pênis.

Adenocarcinoma – é derivado de células glandulares epiteliais secretoras, que pode afetar quase todos os órgãos do corpo (pulmões, intestinos, pâncreas, fígado, colo do útero, etc.). Em geral, os adenocarcinomas são um tipo de câncer bastante agressivo e de difícil remoção cirúrgica e têm, por isso, um prognóstico desfavorável.

Sarcoma – são definidos por sua origem embrionária, ou seja, aquelas classificadas de acordo com a formação do órgão durante a fase de embrião, em contraste com os cânceres mais comuns, que atingem a parte mais superficial ou interna do tecido. Pode atingir osso, cartilagem, gordura, músculo, vasos sanguíneos, ou tecidos moles. O termo advém do termo grego e significa “crescimento carnoso”. São os tipos de câncer que mais fazem metástase e, portanto, os mais perigosos e difíceis de serem tratados.

Pacientes com sarcoma, no entanto, geralmente não se sentem doentes e podem ter pouca ou nenhuma dor e, portanto, não consideram o fato de que essa massa pode representar uma doença muito mortal. Isso leva muitos a só procurar ajuda médica depois que o sarcoma já esteja em um grau avançado e perigoso. Só costuma doer se for em uma área muito desconfortável ou sensível.

Melanoma – é um tipo de câncer que atinge o tecido epitelial, mais especificamente a pele. Representa 5% dos tipos de câncer da pele, sendo o mais grave. O melanoma origina-se nos melanócitos, células localizadas na epiderme, responsáveis pela produção de melanina e, portanto, pela cor da pele. É sempre maligno.

O melanoma geralmente apresenta-se como uma pinta de coloração preta, castanha, vermelha, azul ou da cor da pele. O que chama a atenção é seu crescimento rápido, bordas irregulares e normalmente múltiplas cores na mesma lesão. Pode surgir da pele sã ou de lesões pigmentadas pré-existentes (as “pintas” ou “sinais” de nascença). O melanoma não tem sintomas na sua fase inicial, exceto a irritação cutânea (comichão ou dor) que surge apenas em alguns casos. É frequente surgir como uma área de um nevo (“sinal”) já existente que cresceu, mudou de cor, ganhou contornos irregulares; ou como um novo nevo que surge na vida adulta. Todas essas manifestações são altamente sugestivas de melanoma.

Tumores de células germinativas – se originam nas células reprodutoras (testículos e ovários).

As Neoplasias Hematológicas – As neoplasias hematológicas geralmente não formam massas sólidas, as células somente circulam pelo sangue. São doenças malignas com origem nas células do sangue e que desde o seu início já não costumam estar restritas a uma única região do corpo, manifestando-se em várias partes do corpo sem respeitar barreiras anatômicas. Os órgãos mais frequentemente envolvidos neste processo são: sangue, medula óssea, gânglios linfáticos, baço e fígado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>